Os móveis sem pontas nem arestas tomaram conta da décor! Nossa linha de ESPELHOS ORGÂNICOS, alinhada com as últimas tendências de design, chegou para transformar os espaços! São diversos modelos de espelhos desenvolvidos com a inspiração das formas orgânicas, pensados para se encaixar nos ambientes levando muito charme.

Remetendo visualmente às formas arredondadas da natureza, são propostas que estão criando um estilo moderno, elegante e inovador. Mas você sabe porque esse estilo visual está tão em alta?

Na natureza, as formas orgânicas são a maioria quando comparadas às formas geométricas. Desde as ondas do mar até os formatos das plantas, a organicidade das formas está presente fortemente por todos os lados.

A necessidade da conexão entre as construções e a natureza não é algo novo. Apesar de estar mais em alta nos últimos anos, muito em virtude dos estudos sobre a Biofilia, desde o início do século XX os profissionais dedicam seus estudos para criar projetos mais harmônicos e alinhados com as formas da natureza.

O arquiteto estadunidense Frank Lloyd Wright (1867-1959) desenvolveu através de pesquisas o conceito da arquitetura orgânica ou organicismo, que promove a harmonia entre a habitação humana e a natureza. Wright foi responsável por diversos projetos icônicos, como a casa Fallingwater (A casa da Cascata) e o Museu Solomon R. Guggenheim em Nova York, e acreditava que uma casa deveria nascer para atender às necessidades das pessoas e ser vista como um organismo vivo. Com isso, o design deve ser pensado para se aproximar de uma construção integrada ao máximo com seu terreno e seu entorno. Sua convicção era de que os edifícios influenciam profundamente as pessoas que neles residem, e por esse motivo, o arquiteto torna-se um modelador de homens.

A ideia da arquitetura orgânica se refere não só para a relação literal das construções e o entorno natural, mas também em como o próprio design dessas construções é pensado e desenvolvido para funcionar como um organismo em sua totalidade. Essa arquitetura é ampla e possui um alinhamento entre a natureza e a filosofia humanista, que em termos arquitetônicos transformam as formas em mais adaptáveis e agradáveis para o humano, trazendo um aspecto menos rígido.

Wright apresentou, em seu livro “The Natural House”, seis itens considerados essenciais para a construção de projetos com base na arquitetura orgânica. Confira abaixo:

#1 INTEGRIDADE

Item que afirma a uniformidade do projeto, colocando a obra como uma unidade indivisível, que se relaciona com o ambiente externo e com o próprio interior. Todas as partes têm a mesma importância e estão juntas, sem deixar a beleza e a harmonia de lado, fazendo parte da paisagem.

#2 CONTINUIDADE

A continuidade é expressa de duas maneiras: a espacial e a física. A espacial contempla a integração fluida entre os espaços externos e internos, recusando o conceito de cômodos pensados como caixas; enquanto a física aborda a unidade da fachada como um único plano, sem rupturas.

#3 PLASTICIDADE

A plasticidade é quando observamos uma edificação e não conseguimos diferenciar a forma e a função, aproveitando os conceitos de integridade e continuidade no todo. Levando em conta a neuroplasticidade muito falada atualmente no campo da neurociência, tem a ver com a capacidade de adaptação ao meio de inserção.

#4 NATUREZA DOS MATERIAIS

Valorizando os recursos naturais, esses materiais são fonte de inspiração e criação para os profissionais, devendo ser observados com muita atenção. Os materiais mais utilizados pelo arquiteto eram pedra, tijolos e madeira, em conjunto com materiais industriais, como aço e vidro.

#5 GRAMÁTICA

Considerando toda a construção, o que for observado deve transmitir um único discurso, ou seja, os elementos devem estar harmonizados de tal maneira que falem a mesma língua. A integridade e a continuidade são itens indispensáveis para obter-se essa linguagem única.

#6 SIMPLICIDADE

Uma das principais características da arquitetura orgânica, refere-se à eliminação de qualquer elemento que possa ser acrescentado posteriormente e que não converse com o todo. Porém, não significa falta de graça, e sim respeito com o melhor que a natureza tem a oferecer para cada projeto.

 

ORGANICISMO NOS MATERIAIS

A natureza traduzida através dos materiais é uma ótima opção para transformar os ambientes. A luz solar, mesmo não sendo um material, é um item que também pode ser utilizado como elemento de design!

A iluminação natural ajuda a tornar qualquer ambiente mais vivo, pois a luz faz com que as cores se destaquem no mobiliário e nas decorações. Além disso, auxilia no bom funcionamento do organismo como um todo, graças ao alinhamento do ritmo circadiano. Investir em janelas grandes, clarabóias, e outros itens que destaquem a entrada da luz natural pode oferecer um efeito muito benéfico!

Seja nos móveis, nos revestimentos ou nas decorações, a escolha correta dos materiais é capaz de mudar toda a atmosfera do espaço, levando mais aconchego e bem-estar aos usuários. Isso porque, por mais simples que seja, todo detalhe natural já gera um impacto muito grande.

Dicas para a aplicação:

– Diversos são os elementos naturais que podem ser utilizados nos revestimentos, por exemplo. O importante é sempre analisar muito bem o perfil do cliente e o entorno em que o ambiente se encontra, para fazer a melhor escolha;

– Alguns materiais transmitem mais aconchego, como é o caso da madeira e da argila. Outros, podem transmitir mais sobriedade, com os revestimentos cimentícios, o ferro e as pedras. Analise o conjunto completo e use a criatividade para aplicar;

– O grande objetivo é melhorar a conexão do interior com o exterior, então para as cores, a dica é investir em tonalidades que se aproximem das encontradas na natureza, como os tons terrosos e os esverdeados.

FORMAS ORGÂNICAS

Os móveis sem pontas nem arestas tomam conta da décor a cada dia mais. Remetendo visualmente as formas arredondadas da natureza, algo um pouco parecido com as formas do Neotenic Design, é uma proposta que está criando um estilo moderno, elegante e inovador.

Formas arredondadas, como espirais, círculos e curvas são muito utilizadas nos projetos de arquitetura orgânica, assim como as referências aos elementos da natureza, com representações da fauna e da flora.

APLICAÇÃO NA DÉCOR

Apesar do conceito de trazer elementos naturais para dentro de uma residência já ser bastante difundido, é possível conciliar de maneira satisfatória o uso de móveis contemporâneos mesclados com itens de design orgânico.

Assim, mesmo que o cômodo escolhido já possua uma decoração mais moderna, o uso de outros elementos ajuda a balancear seu estilo. Por exemplo, você pode apostar em uma poltrona Charles Eames couro natural, o que unificaria a modernidade do design da poltrona com o uso do elemento couro.

Por meio da harmonização do ambiente, moderno e natural podem trazer um aspecto dinâmico e imprevisível aos espaços.

A mudança que um ambiente precisa às vezes pode estar nos detalhes! Sem grandes reformas, a alteração de cores das paredes ou o adicional de itens de decoração, como espelhos, podem garantir o efeito desejado de forma rápida e fácil.

Nossos ESPELHOS ORGÂNICOS são ótimas opções para mudar o visual dos ambientes! Disponíveis em diversos formatos, foram pensados para se adequar a todos os estilos.

NEOTENIC DESIGN

O Neotenic Design foi definido como um movimento em 2019, graças a uma exposição no A/D/O Design Center no Brooklyn, em Nova Iorque. “Neoteny” é descrito simplesmente como “a retenção de características juvenis”, mas não de uma maneira pejorativa, pois esse visual mais “fofinho” atende a um antigo instinto humano. No mundo do design, a cultura visual infantil não é necessariamente uma coisa ruim: há cadeiras que lembram ursinhos de pelúcia que ficam em galerias de design de luxo, e móveis dignos de museu feitos dos mesmos bichinhos de pelúcia que cobrem as camas da maioria das crianças. E qualquer jovem se sentiria em casa entre as icônicas esculturas de ovelhas felpudas de Lalanne dos anos 60.

Mas, na última década, designs infantis e fofos têm surgido mais do que nunca. Móveis, iluminação e objetos decorativos começaram a ser produzidos com associações anatômicas e proporções exageradas – rostos grandes, pernas grossas e pés arredondados. A essência das formas no neotenic design é que sua aparência suave e arredondada provoca uma resposta emocional positiva: sabe quando você vê um filhote peludo no Instagram e sente uma onda instantânea de felicidade? Ou se pega com um sorriso bobo enquanto olha para um bebê fofinho? Isso é o que o neotenic design proporciona.

Os arquitetos Justin Donnelly e Monling Lee, sócios da empresa de design JUMBO, que fizeram parte da exposição em Nova Iorque, identificaram três características geralmente consideradas juvenis: formas espessas, bordas suaves ou arredondadas e mono-materiais – apenas um ou dois e da mesma cor -, e coletaram desenhos que compartilham essas características, exibindo mais de duas dúzias deles em formas arredondadas, escalonadas plataformas que formavam uma exibição convidativa e indutora de sorrisos dentro do espaço.

Estudos biológicos mostraram que os humanos respondem subconscientemente a estímulos como olhos grandes, cabeças redondas, bochechas e membros rechonchudos, que estimulam a amígdala e despertam o instinto nutridor. A mesma resposta é gerada por um bebê de qualquer espécie e, surpreendentemente, por qualquer objeto com características semelhantes – pense nas cadeiras de pelúcia dos Irmãos Campana ou nas criaturas peludas dos Irmãos Haas. Pesquisas também sugerem que essas formas juvenis alteram a maneira como os humanos se sentem em um espaço, ajudando a reduzir o estresse e a ansiedade.

Apesar de ter sido a mais notável, a exposição no A/D/O não foi a primeira aparição de neotenic design. Qualquer pessoa com idade suficiente para se lembrar dos anos que marcaram as Guerras Mundiais na Europa pode encontrar exemplos de móveis arredondados em tecidos suaves e cores suaves.

Exibindo traços evolutivos caracterizados pela curiosidade, ludicidade, criatividade e adaptabilidade, aparentemente refletindo as virtudes da infância e juventude, esse novo conceito nos transporta para um mundo mágico. Pensando nos personagens da Disney, nós achamos cabeças e olhos grandes, cores brilhantes, proporções sinuosas e formas arredondadas, que personificam essas atrações para o design de móveis. O novo conforto e cordialidade trazidos pelo neotenic design atraiu as pessoas para uma era de formas suaves, tornando-se relevante na indústria do design para a criação de produtos com maiores níveis de satisfação do usuário.

FORMAS ESPESSAS

– Focando na parte do conforto, o desenho de móveis pensados a partir do neotenic design é desenvolvido utilizando elementos maiores, inclusive tornando o resultado final um tanto quanto extravagante, mas propositalmente;

– A uniformidade também um ponto muito explorado, então muitas vezes os móveis e o restante do ambiente acabam recebendo os mesmos formatos, para criar uma sensação de familiaridade e aconchego;

– Produtos com esse conceito devem ser utilizados com cautela para não sobrecarregar os ambientes, e também devem ser o destaque do ambiente, contrastando com revestimentos e decorações mais minimalistas e neutras.

 

BORDAS ARREDONDADAS

A natureza nos remete às formas orgânicas, por isso as bordas arredondadas são utilizadas como padrão por aqui, para criar uma conexão com o inconsciente e gerar tranquilidade instantânea;

– O formato redondo também é mais lúdico, o que ajuda na hora de formar espaços que abusam da criatividade e são repletos de elementos surpresa – lembra dos Ambientes Instagramáveis?

– Que tal utilizar círculos no produto todo, ao invés de apenas nas bordas? Abuse da imaginação para criar peças únicas, e replique o mesmo visual no restante do projeto para criar homogeneidade.

MONO-MATERIAL

– Como o próprio design do produto já chama bastante atenção, focar em poucos materiais para compor o produto é uma ótima dica. Dar preferência para cores sólidas ao invés de estampas também funciona bem;

– Os acabamentos dos produtos geralmente são mais neutros também, mas nada impede a utilização de metalizados! Pense no conjunto total do ambiente e defina a melhor opção para cada cas;

– Combinar o material do produto com conceito neotenic com os materiais do restante do projeto é uma saída para quem quer iniciar nesse estilo mas tem medo de sobrecarregar visualmente os espaços.

Você sabia que os espelhos podem ajudar a transmitir a sensação de amplitude nos ambientes?

Em locais menores, quando utilizados de maneira estratégica, podem fazer com que os espaços “aumentem”. É tudo questão de perspectiva visual!

A linha de ESPELHOS ORGÂNICOS conta com modelos modernos e de diferentes tamanhos, para você escolher o que melhor se encaixa no seu espaço.

Acesse nosso site e confira os modelos disponíveis!

0
Share:

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *