A grande onda para os próximos anos é que os designers se concentrarão em adicionar alma à tecnologia e comemorar a imperfeição na criação humana. A vida real não é perfeita – é muito mais interessante que isso. Como a tecnologia digital permite designs cada vez mais elegantes e impecáveis, os criativos investirão na imperfeição – as texturas, esquisitices e constrangimentos que nos tornam humanos, e que tornam os objetos que usamos e os espaços em que habitamos especiais.

Thomas Heatherwick criou o projeto de Cingapura Nanyang Learning Hub com imperfeição em mente, e segundo ele, “a estranheza está bem”. As paredes do edifício são texturizadas usando moldes de silicone, dando a impressão de argila molhada, e o espaço está aberto para todos, com “brechas não programadas” que o tornam mais amigável ao ser humano.

Outro projeto, este com a curadoria do artista John Walter, leva a exposição Shonky: “A Estética do Constrangimento” olha para artistas e designers que estão explorando a “estranheza visual”. A mostra propõe que shonkiness está emergindo como uma alternativa aos valores de produção “que definem outros artistas da era contemporânea”.

Em 2020, estaremos procurando shonkiness – para texturas imperfeitas que refletem mais as pessoas verdadeiramente, de forma mais inclusiva e mais gentil.

Artesanato, tecnologia e bem-estar se cruzam no Design Afetivo. Sensorial, a tatilidade estará no centro dos espaços de convivência, com ênfase na calma.

Alinhada com essa junção entre o artesanato e a tecnologia, a Alumiglass possui diversas opções de acabamentos que remetem ao imperfeito. Um exemplo é a Linha Origin, que conta com seleções que lembram couro e tecidos, encontrando na essência dos animais e na beleza de suas cores e desenhos, texturas que dão um toque natural ao ambiente.

O minimalismo continuará a se aquecer com o uso de cores e tato, com foco em acabamentos foscos e porosos, ângulos arredondados, perfis suaves e aparentemente imperfeitos.

MINIMALISMO PIGMENTADO

– O movimento em direção a um minimalismo mais quente levará designers e marcas a vestir produtos e ambientes com pigmentos saturados;

– A tatilidade fosca será fundamental, pois as cores revestirão superfícies em declarações monocromáticas, que são ideais para espaços residenciais e de também comerciais;

– Coordenadas em uma única tonalidade podem ser usadas para criar conjuntos atraentes e interiores projetados para serem exibidos – instagramáveis. Isto é uma alternativa visualmente reconfortante à mistura maximalista.

As opções de linho na Linha Origin se encaixam perfeitamente nessa proposta. Com tons cheios de personalidade mas ao mesmo tempo neutros, podem ser utilizadas em diversos ambientes, inclusive com a mistura de mais de um acabamento.

FORMAS ORGÂNICAS

– Materialidade e tatilidade são áreas-chave de foco para o Design Afetivo, e assumirão a forma de itens de interiores com uma irregularidade proposital, que tem um visual artesanal e pessoal;

– A direção retrô continuará de maneira mais suave, graças a cores, cantos arredondados e design de superfície aprimorados;

– Os volumes angulares serão vestidos com tecidos e texturas foscas para uma sensação mais quente.

Crocco Brown, White ou Cream: os produtos com aparência e textura de couro da Alumiglass oferecem a necessidade tátil para transformar os seus projetos. Com as irregularidades provenientes do material, criam sensações para os sentidos de maneira elegante e sofisticada.

0
Share:

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *